sábado, 21 de setembro de 2019

Antevisão da 6ª Jornada da I Liga


1 – Aqui está a antevisão de Sérgio Conceição do jogo da 6ª jornada da I Liga, frente ao Santa Clara.

“"DISSE AOS JOGADORES QUE ESTAVA EXTREMAMENTE CONTENTE COM ELES"
Sérgio Conceição projetou o FC Porto-Santa Clara, da sexta jornada da Liga NOS (domingo, 20h30)
Depois do arranque vitorioso na Liga Europa, com um triunfo sobre o Young Boys (2-1), o FC Porto volta a centrar atenções no campeonato, cuja sexta jornada reserva uma receção ao Santa Clara, no Estádio do Dragão (domingo, 20h30, Sport TV). Na antevisão da partida, Sérgio Conceição perspetivou dificuldades frente ao bom coletivo açoriano, mas garantiu que os azuis e brancos só pensam em somar a quinta vitória consecutiva no campeonato. O FC Porto soma 12 pontos, menos um do que o Famalicão, primeiro classificado.
O Santa Clara
“Olhamos para o adversário, sim, mas olhamos também para aquilo que queremos fazer no jogo. O Santa Clara é uma equipa bem organizada, que fez um campeonato tranquilo e que normalmente dificulta a tarefa aos ditos grandes. Amanhã esperamos essas dificuldades. Esta época está a dar continuidade ao que fez na temporada anterior, sobretudo no plano defensivo, mesmo quando muda o sistema habitual. Estamos precavidos para isso e temos de pensar no que temos de fazer para contrariar essa boa organização. É uma equipa com argumentos para dificultar a nossa vida. Só amanhã é que vamos ver qual é a estratégia do Santa Clara, mas temos de pensar na nossa equipa e naquilo que temos de fazer.”
O FC Porto
“O FC Porto vai ser fiel àquilo que tem de ser, àquilo que trabalhamos e que definimos na nossa dinâmica de jogo, tanto com bola como sem bola. Este jogo acontece poucas horas depois do jogo com o Young Boys, por isso vamos ver quem está em condições para montarmos o melhor onze para ganhar o jogo.”
Vitórias pela margem mínima
“Ficava preocupado era se não ganhasse, mas temos de perceber o que estamos a fazer bem durante o jogo e perceber que devemos melhorar alguns aspetos. Estamos atentos a isso. Somos uma equipa com uma capacidade ofensiva muito grande e nas duas últimas épocas fomos a melhor defesa do campeonato. Quando há esse equilíbrio, torna-se mais fácil conseguir vencer os jogos.”
A ausência de Alex Telles
“Tenho confiança no grupo. Tenho 18 jogadores de campo e três guarda-redes convocados, e os 18 jogadores de campo podem fazer a posição de lateral-esquerdo, uns melhor do que outros, naturalmente. Toda a gente tem que conhecer todas as posições do campo e perceber o que a equipa faz com e sem bola. Gostava de contar com todos, mas estaria a dizer uma banalidade.”
O onze titular
“As dúvidas exitem sempre no dia a dia. Nós, treinadores, temos muitas certezas e algumas dúvidas, mas são dúvidas positivas. Pensar se um jogador merece iniciar o jogo é uma boa dúvida. Isso demonstra aquilo que é a competitividade dentro do plantel. Prefiro ter essas dúvidas do que não as ter.”
A qualidade dos adversários
“Se olharem para o nosso segundo golo contra o Young Boys, é espetacular, tal como o primeiro. O envolvimento, os jogadores que entram na jogada, o equilíbrio da equipa, etc. Foi espetacular. Hoje em dia, todas as equipas trabalham bem, têm bons jogadores e é normal que nos criem dificuldades. Já tive jogos verdadeiramente espetaculares em que ganhámos por três ou quatro, mas já tive jogos espetaculares em que ganhámos pela margem mínima. São formas de ver as coisas. No balneário, após o último jogo, disse aos jogadores que estava extremamente contente com eles.”
Os golos sofridos
“Tem a ver com a equipa. Podemos pensar de uma forma mais fácil e dizer que sofremos golos por causa do setor defensivo. A nossa eficácia defensiva tem a ver com toda a equipa e começa no ataque. Por vezes não temos sido eficazes, não só no momento de recuperação de bola, mas também no equilíbrio defensivo. A transição ataque/defesa tem de ser mais eficaz e há pormenores que têm de ser trabalhados. As coisas estão associadas.”
O campeonato
“Está dentro da linha do que foi no ano passado. Cada vez é mais difícil para as equipas grandes ganhar campeonatos sem derrotas ou com apenas uma ou duas derrotas. Há vários exemplos de boas equipas que começaram bem o campeonato. Há muita qualidade nas equipas técnicas e na formação dos plantéis. É difícil chegar ao fim do campeonato com 88 pontos, como nós fizemos quando fomos campeões.”
Pinto da Costa
“O nosso presidente é eterno.””

Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Marchesin; Corona, Pepe, Marcano e Manafá; Danilo, Uribe e Otávio/Romário Baró; Luis Díaz, Zé Luis/Soares e Marega.

3 – Sobre o jogo
Depois da Liga Europa, o campeonato está de regresso ao Dragão. Não se espera um jogo fácil, mas espera-se que os comandados de Sérgio Conceição transformem as dificuldades em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; concentrado; coeso; confiante; determinado; ambicioso; motivado; empenhado; rigoroso; sólido; solidário; unido; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!


quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Crónica e Análise: FC Porto 2 – Young Boys 1


1 – Crónica

No início de noite desta quinta o FC Porto recebeu o Young Boys, em jogo a contar para a 1ª jornada da fase de grupos, grupo G, da Liga Europa. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 2-1.
Para este jogo Sérgio Conceição apostou num onze composto por Marchesin; Corona, Marcano, Pepe e Alex Telles; Danilo, Uribe e Otávio; Luis Díaz, Soares e Marega.
O FC Porto entrou bem em jogo e ao minuto 8, Soares, colocou os Dragões em vantagem. No entanto, ao minuto15, o Young Boys empatou através de uma grande penalidade. 10 Minutos depois Danilo ficou perto de marcar, contudo a bola foi ao poste. Mas ao minuto 29, Soares voltou a colocar o FC Porto em vantagem.
No segundo tempo os Suíços procuraram reagir e deram trabalho à equipa portista que, de quando em vez, procurava criar perigo junto da baliza adversária. Numa dessas ocasiões, minuto 69, Soares esteve perto de fazer o terceiro golo. E do outro lado do campo, ao minuto 71, Marchesin impediu os festejos dos visitantes.
Com este resultado o FC Porto soma 3 pontos e está na liderança do grupo com os mesmos pontos do Glasgow Rangers.

2 – Análise

O FC Porto iniciou hoje a sua participação na fase de grupos da Liga Europa. Não se esperava um jogo fácil e, de facto não o foi. Também não foi um jogo espetacular, longe disso. A primeira parte (período em que os Dragões construíram a vantagem) foi melhor do que a segunda, em que foi necessário reagir à pressão exercida pelos suíços. Nem sempre é possível jogar bem, todos o sabemos, mas sobrou-me a sensação que é preciso um pouco mais para que o FC Porto se afirme como um candidato à Liga Europa. Destaco Soares pelos dois golos que fez.
Em suma, foi uma boa vitória, num jogo menos bom. Segue-se o campeonato com a receção ao Santa Clara, já no domingo. Vamos Porto!



quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Antevisão da 1ª Jornada da Fase de Grupos da Liga Europa


1 – Aqui está a antevisão de Sérgio Conceição e de Uribe do jogo da 1ª jornada da fase de grupos, grupo G, da Liga Europa, frente ao BSC Young Boys.

“"TEMOS DE JUSTIFICAR O HISTORIAL DO FC PORTO NAS COMPETIÇÕES EUROPEIAS"
Sérgio Conceição perspetivou a receção de quinta-feira ao Young Boys (20h00), para a primeira jornada do Grupo G da Liga Europa
Sérgio Conceição fez nesta quarta-feira a antevisão da receção ao BSC Young Boys, referente à primeira jornada do Grupo G da Liga Europa. Em conferência de imprensa realizada no Estádio do Dragão, o treinador do FC Porto falou sobre o duelo com a equipa suíça, agendado para as 20h00 de quinta-feira (Sport TV 1).
Entrar em todas as competições para vencer
“Os objetivos do FC Porto passam sempre por vencer todas as competições em que entra e esta não foge à regra. Para chegar longe na Liga Europa temos de começar já amanhã a ganhar. Amanhã defrontamos o bicampeão suíço, uma equipa difícil, olhando e conhecendo aquilo que são os jogadores do Young Boys, que varia muito e muda várias vezes dentro do próprio jogo. Estamos preparados e precavidos para o que serão essas nuances no jogo. Temos de olhar para aquilo que é o nosso jogo, para justificar aquilo que é o historial do FC Porto nas competições europeias.”
Os jogos ganham-se dentro de campo
“Teoricamente, somos mais fortes que o rival de amanhã, essa diferença existe mas isso tem de ser provado e comprovado dos 90 minutos, ou 180 minutos, incluindo o jogo de lá. Os jogos ganham-se dentro de campo. Estamos à espera de um adversário difícil amanhã.”
A situação física de Zé Luís
“Zé Luís já estava condicionado antes do jogo de Portimão, conseguimos que estivesse operacional para o jogo, amanhã veremos o que vai acontecer.”
Sobre Nakajima
“O que falamos são conversas nossas, ele em japonês e eu em português, não é fácil, mas tentamos comunicar, por isso é que ele está a ter aulas de português. Vocês sabem da minha exigência, da minha entrega, da minha dedicação a 1000 por cento a este clube. Não me peçam para ter uma reação que não seja emotiva depois de uma vitória aos 90 mais 8 minutos. Não basta ter contrato com o FC Porto, é preciso senti-lo. Seja o Nakajima, o Sérgio Conceição ou qualquer outra pessoa. Para representar esta casa há caraterísticas que têm de estar presentes diariamente. Depois, errar todos erramos, e eu sou o primeiro a errar.”
A preparação para o jogo
“Preparamos os jogos de acordo com aquilo que é a estratégia para o jogo, do que é o adversário e do que é o momento de forma dos jogadores. Estamos a meio de setembro, estamos a formar um grupo e uma equipa fortes. É natural que os melhores joguem neste jogo. Domingo temos jogo com o Santa Clara, depois quarta-feira para a Taça da Liga novamente com o Santa Clara. Veremos a cada jogo quais serão as opções.”
O que fica na história dos clubes
“O principal objetivo é o campeonato mas entramos em todas as competições para ganhar. É isso que este clube tem feito ao longo dos anos: entrar para ganhar, ganhar jogos e ganhar títulos. É isso que fica na história dos clubes.”
A motivação para a Liga Europa
“A motivação é representar um clube histórico como o FC Porto, como disse o Matheus Uribe. É essa a motivação principal, representar um clube histórico, representar o FC Porto e ter de ganhar as competições em que está inserido. Por vezes é melhor ir longe e lutar por uma Liga Europa do que ser eliminado na fase de grupos da Liga dos Campeões.”
Sobre uma alegada fragilidade emocional
“Fragilidade emocional? Vou dar um exemplo: ir à Luz e ganhar 2-0, depois de ter começado mal o campeonato e de termos sido eliminados da Champions. É evidente que há situações em que temos de melhorar e se calhar naquilo que o Young Boys é mais forte. Estamos ali muitas horas a trabalhar em cima do que a equipa precisa de melhorar. Obviamente que pensamos, olhamos e trabalhamos em cima desses erros.””


“MATHEUS URIBE: "TEMOS DE FAZER-NOS RESPEITAR EM CASA"
Médio colombiano anteviu o embate perante o Young Boys, no Estádio do Dragão, relativo à 1.ª jornada do Grupo G da Liga Europa (quinta-feira, 20h00)
O FC Porto estreia-se esta quinta-feira (20h00) na edição 2019/20 da Liga Europa, no Estádio do Dragão, contra o bicampeão suíço Young Boys. Na projeção do desafio da 1.ª ronda do Grupo G, o colombiano Matheus Uribe sublinhou a necessidade de a equipa portista assumir o jogo em casa diante de “uma equipa veloz e vertical com transições rápidas”.
Período de adaptação
“A minha adaptação foi fácil pela qualidade de jogadores que temos no plantel e pelo acompanhamento proporcionado pela equipa técnica. Isso facilita muito as coisas aos jogadores num clube tao grande como o FC Porto. Os resultados também ajudam. É muito mais fácil corrigir, com bons resultados, as coisas que não estão bem. É um orgulho estar cá e vou dar sempre tudo para conseguirmos os objetivos”.
Liga Europa em vez da Liga dos Campeões
“Quando tive a oportunidade de vir para cá, não foi para jogar competições europeias, mas pela história do clube. Para qualquer jogador é um orgulho que o FC Porto esteja interessado em si. Para mim, como sul-americano, é um grande orgulho estar aqui”.
Favoritismo
“Temos a responsabilidade grande de sermos considerados favoritos pela qualidade do plantel que temos, estejamos onde estivermos. Por isso preparamo-nos para estar sempre a 100%, porque os nossos adversários estão sempre prontos para dar 200% e ganhar-nos”.
Mercado
“É um orgulho para mim estar no FC Porto. Desde a primeira vez que soube do interesse do clube disse sempre ao treinador que queria muito vir para aqui. Estou a perceber cada vez melhor as ideias do treinador a cada dia que passa. Se o Uribe faz um bom trabalho nos jogos, isso também se deve aos colegas e treinador que me ajudam nos treinos. Todos os movimentos que faço têm a ver com o excelente trabalho tático da equipa técnica”.
O Young Boys
“Conhecemos o adversário. É uma equipa veloz e vertical com transições rápidas. Temos de estar atentos as laterais e extremos para sabermos os movimentos que vão fazer. Mas estamos no nosso estádio e temos de fazer respeitar-nos em casa. Se tivermos bola, eles vão perder o ímpeto”.
Abordagem séria
“Para nós, todos os adversários valem nota 10. Vamos para o jogo com a noção de que estamos a jogar em casa e temos de ganhar. Temos de implementar tudo o que fazemos diariamente nas sessões de trabalho”.”

Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Marchesin; Corona, Marcano, Pepe e Alex Telles; Danilo, Uribe e Otávio/Romário Baró; Luis Díaz, Soares e Marega.

3 – Sobre o jogo
O FC Porto arranca a fase de grupos da Liga Europa em casa. Não se espera um jogo fácil, mas espera-se que os comandados de Sérgio Conceição transformem as dificuldades em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; concentrado; coeso; confiante; determinado; ambicioso; motivado; sólido; solidário; unido; empenhado; rigoroso; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!