quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Crónica e Análise: FC Porto 0 – Juventus 2



1 – Crónica

Missão Complicada Para a 2ª Mão

Ao início de noite desta Quarta o FC Porto recebeu a Juventus, em jogo a contar para a 1ª mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. No final do encontro verificou-se a derrota dos Dragões por 0-2.
Para este jogo Nuno Espírito Santo apostou num onze composto por Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, Ruben Neves e Herrera; André Silva, Soares e Brahimi.
O FC Porto não entrou mal em jogo, procurando contrariar as investidas dos Italianos e procurando responder sempre que possível. Sem que, na verdade, nenhuma das equipas tenha criado real perigo junto de qualquer uma das balizas. Mas ao minuto 27, Alex Telles viu o segundo cartão amarelo e deixou a equipa reduzida a dez e a estratégia de Nuno feita em cacos. André Silva cedeu o seu lugar a Layun. Com a defesa recomposta, a equipa procurou defender-se o melhor possível, mas complicou a sua tarefa no ataque. Ao minuto 39, Casillas travou um remate italiano e, pouco antes do intervalo, viu a bola acertar em cheio no poste.
O FC Porto entrou melhor no segundo tempo, com Herrera a rematar ao lado da baliza italiana. Esta ocasião para lá chegar deu alento à defesa portista para conseguir controlar o ataque italiano, permitindo que a equipa procurasse chegar à área contrária, ainda que fosse uma tarefa difícil e que, na verdade, não deu qualquer fruto. Mas ao minuto 72, Layun não conseguiu afastar a bola da melhor forma e golo da Juventus. Apenas dois minutos volvidos os italianos gelaram por completo as aspirações portistas ao fazerem o segundo golo.
Com este resultado o FC Porto complica a tarefa para a segunda mão, tornando a missão quase impossível.

2 – Análise

Não se esperava um jogo fácil e, de facto, não o foi. Nuno montou um meio campo com Danilo, Ruben Neves e Herrera, na tentativa de fortalecer o meio campo. Na minha perspetiva, boa opção. Tinha dúvidas sobre a composição do meio campo, mas nem tinha pensado na hipótese Ruben Neves. O FC Porto foi procurando, da melhor forma, colocar a sua estratégia em campo até ao momento que Alex Telles foi expulso. Nesse minuto foi pelo cano a baixo toda a estratégia de Nuno e o jogo complicou-se mais ainda. Não havia outra opção se não fazer sair um dos membros da frente para que Layun pudesse compor a defesa. E a defesa continuou a segurar a esperança de toda uma equipa, de todo um estádio, de toda uma nação portista.  O FC Porto lutou como pôde para evitar os golos do adversário. Mas tantas vezes o cântaro vai à fonte, que um dia acaba por partir… e os golos dos italianos surgiram quais baldes de água fria. Não sei se Nuno podia ou não ter mexido de outra forma, agora é tão fácil apontar o dedo, mas creio que o treinador fez o melhor que pôde para manter a chama da esperança acesa. Mas nada a dizer da atitude desta equipa que procurou fazer o melhor possível, sabendo-se que já era difícil com onze, quanto mais com dez. E não posso deixar de não destacar Herrera que aguentou quase todo o segundo tempo com o pé direito muito mal tratado, razão pela qual necessitou de levar 17 pontos no final do encontro, obrigado, capitão!
A missão é quase impossível na segunda mão, ainda que todos saibamos que no futebol não há impossíveis, mas é preciso ter a consciência de que será muito difícil. Pede-se à equipa que faça o possível para virar o resultado. A esperança é a última coisa a morrer.
Em suma, o FC Porto começou a perder este jogo no momento em que Alex Telles foi expulso.
Agora é momento de recuperar forças para lutar noutra batalha, o campeonato. Vamos Porto!



Crónica: Manchester United sub-23 0 – FC Porto B 2



B’S Garantem Presença nas Meias Finais da Premier League International Cup

No final de tarde desta quarta o FC Porto B deslocou-se ao terreno do Manchester United sub-23, em jogo a contar para os quartos de final da Premier League International Cup. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 0-2.
No primeiro tempo não houve golos.
Mas no segundo tempo Ismael Díaz ao minuto 65 ativou o marcador. E, o mesmo Ismael ao minuto 69, ampliou a vantagem portista.
Com esta vitória o FC Porto B garantiu a presença nas meias finais da Premier League International Cup.




terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Antevisão da 1ª Mão dos Oitavos de Final da Liga dos Campeões



1 – Aqui está a antevisão de Nuno Espírito Santo e de André Silva do jogo da 1ª mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, frente a Juventus

““PREPARADOS PARA COMPETIR NO MÁXIMO DAS NOSSAS FORÇAS”
Nuno Espírito Santo projetou um “grande jogo” entre FC Porto e Juventus, duas das 16 melhores equipas da Europa
Na conferência de imprensa de antevisão da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, Nuno Espírito Santo garantiu um FC Porto motivado, preparado para competir no “máximo” das suas capacidades e que quer dar continuidade ao bom momento de forma que se traduz em seis vitórias conquistadas de forma consecutiva. Esta quarta-feira terá pela frente a pentacampeã italiana Juventus, cheia de soluções e com “grandíssimos jogadores”, mas o crescimento da equipa portista, lembrou, também passa por testes como este, de elevado grau de dificuldade. Para o ultrapassar, o treinador conta com a ajuda do Estádio do Dragão “cheio e entusiasmado” capaz de dar à equipa a energia que ela quer transformar em rendimento dentro das quatro linhas.
Preparados e motivados
“Vamos ter um grande jogo entre duas das 16 melhores equipas da Europa, com um FC Porto preparado para competir diante de um grande adversário. Cada oportunidade é um desafio para nós e é assim que encaramos o jogo de amanhã. Estamos preparados, os jogadores estão motivados, sabemos que vamos ter um Dragão cheio e entusiasmado ao lado da equipa e queremos captar essa energia e transformá-la em rendimento no campo.”
A história para desafiar
“Sabemos que tanto na vida como no futebol, não devemos desprezar ninguém nem sentirmo-nos inferiores a ninguém. A história está aí e amanhã teremos um novo desafio pela frente. Respeitamos o nosso adversário, sabemos que é uma grande equipa e estamos preparados para competir no máximo das nossas forças.”
Estar entre os melhores
“Sabemos que o jogo de amanhã é a continuação de um trabalho iniciado em agosto, num playoff extremamente difícil, que conseguimos de uma forma meritória ultrapassar. Tivemos uma fase de grupos igualmente complicada e conseguimos superá-la. Desde agosto temos vindo a melhorar, a projetar o nosso crescimento e queremos continuar a melhorar. A construção da equipa passa por defrontar adversários de grande nível. Queremos que os jogadores se sintam capacitados, porque queremos estar entre os melhores e isso requer trabalho e motivação, e isso nós temos.”
O momento e as possibilidades
“O momento é explicado pelos resultados. Logicamente que com bons resultados tudo se torna mais fácil na preparação de uma equipa, porque as ideias são mais facilmente assimiladas, os conceitos são apreendidos de forma muito mais rápida. O momento não pára aí. Queremos continuar a crescer e a melhorar. Amanhã teremos um FC Porto preparado, consciente de que tem pela frente um grandíssimo adversário, consciente da qualidade dos seus jogadores, mas também extremamente motivado, sabendo que o apoio dos nossos adeptos tem sido fundamental para nós e é isso que projetamos para amanhã: um estádio cheio, ao lado da equipa, os jogadores a trabalhar no máximo das suas forças. Só poderemos determinar as reais possibilidades no que se refere à eliminatória depois do jogo. Estamos preparados para competir 180 minutos.”
Um FC Porto à italiana?
“Quando falamos em conceito de equipa, tudo tem uma base e a nossa não assenta simplesmente na linha defensiva ou no guarda-redes. O conceito defensivo começa nos jogadores que estão na frente, no trabalho que eles fazem, como encaram o adversário, como conseguem reagir à perda… tudo isso é trabalho defensivo. Comparar o FC Porto com outra equipa não está no razoável. Queremos construir uma equipa capaz de competir e de discutir o resultado com qualquer adversário, uma equipa trabalhadora, dedicada e que está muito unida em torno dos seus objetivos.“
O onze da Juventus
“Não sei se o Bonucci vai jogar. Certamente que essa pergunta irá fazê-la ao treinador da Juventus e, se ele disser quem vai jogar, ficaria muito feliz. A Juventus tem grandíssimos jogadores, muitas opções. Poderia neste momento traçar-lhe um onze e um outro com outras opções. Dybala, Mandzukic, Higuain, Cuadrado, Pjanic, Khedira, Chiellini, Bonucci, Alex Sandro, Liechtsteiner e Buffon, acho que é esse o onze.””

“ANDRÉ SILVA: “QUALQUER JOGADOR GOSTARIA DE ESTAR NA MINHA POSIÇÃO”
Avançado mostrou confiança na véspera do jogo com a Juventus e não vê um favorito na eliminatória
“Se não pensar que vou ser campeão, quem o vai fazer por mim?” A pergunta é de André Silva e foi uma das respostas do avançado na conferência de imprensa de antevisão do jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Confrontado com uma pergunta sobre o poderio da Juventus, o goleador – que lembrou que “qualquer jogador” gostaria de pisar o relvado do Dragão na quarta-feira (19h45) – respondeu com confiança e eis outra citação: “Temos de pensar que nós é que vamos sair vitoriosos, nós é que estamos em forma e nós é que vamos estar por cima do jogo”. O previsível duelo com o veterano (e lendário) guarda-redes Buffon foi outro dos pontos em destaque na antevisão que decorreu no Auditório José Maria Pedroto, no Estádio do Dragão.
A qualidade do adversário
“A verdade é que já estudámos um bocado a Juventus e ainda vamos estudar mais. Em geral é uma equipa muito boa, tanto na defesa como no ataque. Têm uma defesa sólida, que sofre poucos golos, e no ataque têm jogadores que todos conhecemos. Amanhã serão 11 contra 11, não há favoritismo e só no final saberemos quem levou a melhor.”
A motivação dos grandes jogos
“Qualquer jogador gostaria de estar na minha posição ou dos meus colegas. Olhamos para a Juventus como uma grande equipa, mas entramos em todos os jogos da mesma maneira, para ganhar. Espero que isso aconteça amanhã, vamos entrar desde o primeiro minuto com a máxima força e chegar aos 90 com a força que nos restar.”
Quem pára a Juventus?
“Se não pensar que vou ser campeão, quem o vai fazer por mim? Temos de pensar que nós é que vamos sair vitoriosos, nós é que estamos em forma e nós é que vamos estar por cima do jogo. Temos de pensar nisso mais do que eles e só assim poderemos sair com a vitória.”
A lenda Buffon
“É verdade que amanhã vou ter pela frente uma grande lenda, o Buffon, mas também tenho a felicidade de jogar com uma landa, o Casillas. Já lhe marquei golos nos treinos, fiquei feliz com isso e se amanhã marcar também vou ficar muito feliz, mas o mais importante é a vitória. Durante a minha infância nunca olhei muito para os guarda-redes, os mais novos não querem ir à baliza e querem ir à frente, mas tenho a noção de que foi um grande guarda-redes e ainda o é. Seria um sonho marcar-lhe um golo.””

Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, André André e Óliver / Danilo, Herrera e André André; André Silva, Soares e Brahimi

3 – Sobre o jogo
Todos sabemos que a Juventus é um adversário complicado, que impõe respeito e que, por isso, o jogo de amanhã não será fácil. Mas espera-se que os comandados de Nuno transformem as dificuldades em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; confiante; concentrado; coeso; sólido; solidário; unido; empenhado; determinado; rigoroso; ambicioso; motivado; guerreiro; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!