segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Antevisão da 6ª Jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões


1 – Aqui está a antevisão de Sérgio Conceição e Alex Telles do jogo da 6ª jornada da fase de grupos, grupo D, da Liga dos Campeões, frente ao Galatasaray.

“SÉRGIO CONCEIÇÃO: "OS JOGADORES VÃO DAR O SEU MELHOR"
Dragões defrontam o Galatasaray na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões
Sérgio Conceição diz que o FC Porto está motivado e determinado a garantir os três pontos na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, frente ao Galatasaray. Em conferência de imprensa, o treinador salientou a importância de dignificar a história do clube na prova.
A gestão da equipa
“A gestão da equipa é feita de acordo com os jogos que temos feito até agora e de um ou outro problema físico que por vezes vocês não conhecem. Escolhi os jogadores que me davam mais garantidas para ganhar o jogo de amanhã.”
Desempenho na Liga dos Campeões
“Sabíamos que este era um grupo extremamente difícil, pelo equilíbrio e pela qualidade das equipas, já que tínhamos como adversários o campeão russo, o campeão turco e o vice-campeão alemão. Sabíamos que os jogos em casa e a dupla jornada com o Lokomotiv seriam muito importantes para garantir o apuramento. Conseguimos passar em primeiro lugar mas o que fizemos está à imagem do FC Porto. É o clube com mais presenças na Liga dos Campeões, a par de dois outros clubes poderosos, e é um clube histórico na Europa e no mundo. Não fizemos mais do que aquilo que tínhamos de fazer e temos de o confirmar amanhã para
estarmos completamente satisfeitos com a nossa prestação.”
16 pontos como jogador em 1996/97
“Todos os dias em que entro no Olival para trabalhar são especiais para mim. Representar este clube é especial e fazê-lo na Liga dos Campeões também. Os jogadores vão dar o seu melhor para ganhar o jogo e para conseguirmos representar o FC Porto ao mais alto nível na Liga dos Campeões. Na altura, como jogador, fiquei contente com os 16 pontos. Como treinador, a situação é diferente mas o sentimento é o mesmo.”
À espera de dificuldades
“O Galatasaray fez um jogo competente no Estádio do Dragão, talvez o jogo mais difícil que tivemos. É isso que espero amanhã, num ambiente difícil, difícil mas daqueles que eu gosto. Gosto de emoção e sinto-me como peixe na água num ambiente quente.”
Dois meses até aos oitavos de final
“Essa pausa até aos oitavos de final nunca foi um tema abordado nos fóruns de treinadores em que estive. Daqui a dois meses, as equipas poderão estar numa forma diferente, mas a nós compete-nos estar na melhor forma possível quando chegarem os oitavos de final. Aí encontram-se os melhores clubes da Europa e vai ser importante estar num nível elevado.”
Fazer um jogo competitivo e ganhar
“O Galatasaray vai ter de entrar para ganhar, é ganhar ou ganhar para não ficar dependente do outro jogo. A qualidade individual está lá, é uma equipa experiente, sabe os espaços que pisa, sabe o que o jogo necessita em cada momento. Como disse antes, talvez tenha sido a equipa que nos causou mais dificuldades. Os adeptos vão dar uma grande força à equipa, mas estamos preparados para as dificuldades, queremos apresentar uma equipa competitiva e fazer um bom jogo para ganhar. Cada jogo tem a sua história. Este é um jogo decisivo para o Galatasaray e também para nós, por representarmos este clube. No FC Porto, todos os jogos, todos os momentos têm de ser decisivos para nós, também.””

“ALEX TELLES: "O MAIOR DESAFIO É CONTINUAR COM O MESMO ESPÍRITO"
FC Porto quer garantir a vitória na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões
Alex Telles acompanhou Sérgio Conceição na conferência de imprensa de antevisão do duelo com o Galatasaray, agendado para esta terça-feira (17h55). O lateral brasileiro diz que o FC Porto pensa apenas na vitória, embora já tenha garantido o primeiro lugar do grupo e o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões.
Motivação para terça-feira
“Queremos sempre o melhor resultado, a vitória, independentemente da situação em que nos encontremos. Estamos na Champions League, a disputar grandes jogos, contra grandes jogadores. O grupo está muito focado e determinado a garantir a vitória.”
O reencontro com o Galatasaray
“Não posso negar que vai ser especial para mim reencontrar um clube onde cresci bastante. Vamos encontrar muitas dificuldades, um ambiente diferente, mas tudo vai depender da forma como nos comportarmos em campo. Não nos podemos preocupar com o exterior e temos começar desde o início a fazer o nosso trabalho.”
Espírito de conquista
“O facto de estar a jogar a Liga dos Campeões, em palcos onde todos os atletas gostam de estar, e o facto de representar o FC Porto já são a maior motivação possível. O nosso maior desafio é continuar com o mesmo espírito.”
Concentrado no FC Porto
“Tive uma história curta no Galatasaray, uma história de dois anos mas uma boa história, com alguns títulos conquistados. Deixei aqui amigos, mas só pensarei nisso depois do jogo. Não sei como vai ser a receção mas estou totalmente preparado para dar o melhor pelo FC Porto, o clube que apostou em mim e onde me sinto muito feliz.”
Desempenho ao longo da época
“Tenho a consciência de como me está a correr a época. Sei que na época passada correu tudo muito bem e as pessoas esperam sempre o meu máximo nível, que esteja sempre no meu melhor. Sei o quanto estou a render e o mister dá-me confiança, fala diariamente comigo. Tento sempre dar o meu melhor, mesmo que não saia bem um corte ou um cruzamento. Sou muito exigente comigo mesmo e darei sempre o meu máximo em cada treino e em cada jogo.”
A vitória é o grande objetivo
“A equipa está de parabéns. É uma satisfação muito grande estar em primeiro lugar e poder terminar esta fase com 16 pontos. É esse também o nosso objetivo para amanhã.””
Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Casillas; Maxi, Felipe, Diogo Leite e Alex Telles; Danilo, Herrera e Óliver; Brahimi, Marega e Adrián

3 – Sobre o jogo
É o último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões. Teoricamente serve apenas para cumprir calendário, porque os Dragões já tem garantida a passagem à próxima fase da prova, bem como o primeiro lugar do grupo. No entanto o FC Porto nunca entra em campo para perder e este jogo não será diferente. Esperam-se dificuldades, mas espera-se que os comandados de Sérgio Conceição as transformem em facilidades. Para tal espera-se uma equipa competente; confiante; coesa; concentrada; determinada; empenhada; rigorosa; motivada; sólida; solidária; unida; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!



sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Crónica e Análise: FC Porto 4 – Portimonense 1


1 – Crónica

No início de noite desta sexta o FC Porto recebeu o Portimonense, em jogo a contar para a 12ª jornada da I Liga. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 4-1.
Para este jogo Sérgio Conceição apostou num onze composto por Casillas; Corona, Felipe, Éder Militão e Alex Telles; Danilo, Óliver, Otávio e Brahimi; Marega e Soares.
O FC Porto não entrou bem em jogo e o Portimonense inaugurou o marcador ao minuto 9. Os Dragões procuraram reagir o mais rápido possível e ao minuto 17, Brahimi chegou mesmo a marcar, no entanto o golo foi anulado devido ao facto de Soares estar fora de jogo e interferir na ação do guarda-redes. Não foi nesse momento, foi ao minuto 21, por intermédio de Marega, que deu a melhor sequência a um canto cobrado por Alex Telles. Estava assim, reposta a igualdade no marcador. Até ao intervalo Soares, por 3 vezes, Otávio e Brahimi ficaram perto do golo.
Pouco tempo depois do recomeço do jogo, começou a reviravolta no marcador. Ao minuto 57, Soares colocou os Dragões em vantagem. 2 minutos depois foi Brahimi que fez o terceiro golo portista. Do outro lado do campo, o Portimonense procurou reagir e Casillas travou aquele que seria o segundo golo dos algarvios. Pouco depois, minuto 64, veio o 4º golo dos Dragões, por intermédio de Marega e ficou tudo decidido.
Com esta vitória o FC Porto passa a somar 30 pontos e garante a liderança no campeonato aconteça o que acontecer no final desta jornada.

2 – Análise

Quem olhar para o resultado do jogo sem o ter visto, provavelmente pode achar que foi fácil, mas, tal como já se esperava, não o foi. Foi um jogo interessante, na medida em que os de Portimão não vieram ao Dragão apenas para defender, tinham, de facto, como objetivo impedir que o FC Porto colocasse em campo a sua estratégia de jogo. A prova disso foi o facto de ter sido o portimonense quem se adiantou no marcador, obrigando o FC Porto a correr atrás do resultado. Os Dragões empataram antes de Sérgio Conceição ter decidido alterar o sistema de jogo, ao trocar Óliver por Herrera. No segundo tempo o FC Porto conseguiu ser mais objetivo e em menos de 10 minutos conseguiu fazer 3 golos e dar a volta ao resultado. Destaco Marega, Soares e Brahimi pelos golos marcados que permitem aos portistas somarem a 11ª vitória consecutiva em 4 competições. Como nós portistas temos boa memória e somos gratos a quem representou as nossas cores e porque uma vez Dragão para sempre Dragão, destaco como um dos momentos deste jogo a saída de Jackson Martinez, ao som de um enorme aplauso dos portistas que, de pé, fizeram o colombiano perceber que esta é a sua casa.
Em suma, foi um jogo difícil que o FC Porto tratou de transformar fácil e somar uma vitória justa. Segue-se a Liga dos Campeões. Vamos Porto!





quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Antevisão da 12ª Jornada da I Liga


1 – Aqui está a antevisão de Sérgio Conceição do jogo da 12ª jornada da I Liga, frente ao Portimonense.

“"TEMOS DE ASSUMIR AS DESPESAS DO JOGO"
Sérgio Conceição perspetivou a receção ao Portimonense, da 12.ª jornada da Liga NOS (sexta-feira, 20h30)
O FC Porto está de regresso a casa na 12.ª jornada do campeonato e o próximo adversário dos azuis e brancos é o Portimonense, orientado por alguém que conhece muito bem a realidade portista: António Folha. Na antevisão da partida que se disputa esta sexta-feira (20h30, Sport TV), no Estádio do Dragão, Sérgio Conceição deixou elogios aos algarvios, abordou a marca dos 250 jogos como treinador e falou também sobre a vitória e a expulsão no dérbi com o Boavista (1-0). À entrada para esta ronda, os campeões nacionais são líderes isolados, com 27 pontos, mais dois do que o Sporting. O Portimonense segue na 11.ª posição, com 14.
250 jogos como treinador
“São dados a que não dou grande relevância. Eu e a minha equipa focamo-nos naquilo que é o nosso adversário. Obviamente que são 250 jogos e parece que
foi ontem que comecei, mas espero atingir muitos mais, ainda que sejam situações a que não dou grande importância. A minha preocupação é manter a equipa focada e completamente consciente de que o Portimonense é uma equipa difícil. Na época passada fez-nos sempre golos, apesar de termos conseguido vencer. Tem qualidade individual e um treinador que me conhece bem e a esta casa. Vai ser um jogo extremamente difícil e temos de assumir as despesas e a responsabilidade de tentar ganhar os três pontos, que são muito importantes na minha caminhada. Estou sempre confiante que podemos ganhar. Trabalhamos com uma vontade grande de conseguir a vitória em cada jogo. Ganhar o próximo jogo é o mais importante, independentemente de coincidir com esta marca. A nossa forma de estar e de trabalhar é sempre a pensar na vitória, mas também temos pela frente adversários de qualidade.”
Conhecimento mútuo
“Como eu o conheço tão bem e ele a mim, é difícil que nos possamos surpreender um ao outro, mas vai ser um FC Porto-Portimonense e não um Sérgio Conceição-António Folha. Percebo a forma como ele trabalha e ele percebe a minha, mas depois há toda uma dinâmica e a própria preparação para o jogo. Espero amanhã ser mais
feliz do que ele.”
A expulsão no Bessa
“Ninguém fica agradado por ser expulso. Nas três expulsões que tanto invocam não apanhei castigo pois não fiz nada suficientemente grave para que isso acontecesse. Fui expulso duas vezes por sair da área técnica e agora fui expulso por festejar efusivamente um golo. Foi um dérbi disputado e intenso e estávamos precavidos para isso, mas não contava que o Boavista não jogasse futebol. Frente a outro candidato ao título, no Bessa, o Boavista fez 12 faltas, mas contra nós fez mais do dobro e muitas outras ficaram por marcar. Nos primeiros 15 minutos houve três ou quatro de tempo útil e foi aí que o árbitro começou a perder o jogo. Não foi um jogo de futebol, foi uma batalha com o banco do Boavista constantemente de pé e com faltas constantes para amarelo. Comemorei com um palavrão, é certo, mas parece a coisa mais grave que aconteceu. É inadmissível isto. E depois estendeu-se aos programas de televisão, em que não falaram do tempo útil e dos cartões que ficaram por mostrar. No golo do Éder nenhum português soltou um palavrão? Não é normal um festejo mais efusivo num golo? O golo do Éder, para mim, são todos os golos do FC Porto. São vividos com paixão. Há muita gente que prefere dar realce a situações menos positivas do que a mais uma vitória do FC Porto, que segue num ciclo fantástico de vitórias convincentes. Vi um ou outro programa, durante pouco tempo, e senti uma indignação incrível.”
Equipa comprometida e que acredita até ao fim
“A equipa está muito comprometida e todos já viram isso. Os golos podem ser obtidos no primeiro ou no último minuto, mas lutamos sempre por esse objetivo. A equipa tem de jogar sempre de uma forma agressiva na procura da baliza contrária, até porque não estamos preparados para gerir o jogo de outra forma. Ganhámos o jogo com um golo aos 90m+5, mas esse golo poderia ter surgido na primeira parte. É sinónimo de que a equipa está focada, comprometida e que acredita até ao apito final do árbitro.”
O amigo Jorge Jesus
“O meu amigo Jorge Jesus vive o jogo como eu vivo e nunca o vi a ser expulso aqui. Eu tinha jogos contra ele em que ele estava perto do meu banco e até
conversávamos. Há coincidências, pois o árbitro assistente que deu indicação para me expulsar na Supertaça foi o mesmo que deu indicação para me expulsar no Bessa. Foi o mesmo, por duas situações idênticas. O FC Porto falou o que tinha a falar e eu dou as minhas explicações, sem fugir a nada.”
Jackson Martínez
“Gosto sempre de defrontar os melhores jogadores, que contribuem para aquilo que é um bom espetáculo. O Jackson é um jogador do qual toda a gente gosta e é um ser humano espetacular. Não privei com ele, mas é o que ouço da passagem dele pelo FC Porto. É um futebolista de eleição, que nos últimos dois ou três anos sofreu muito com problemas físicos. É uma pessoa muito apaixonada por aquilo que faz. Não sei se joga ou não, mas se ele vier, vou cumprimenta-lo e felicitá-lo pela carreira dele no FC Porto e pelo que tem feito no futebol em geral.”
O (muito) pouco tempo útil de jogo em Portugal
“Num dos fóruns de treinadores da UEFA foi um dos temas discutidos e foi-me dito pelos responsáveis da UEFA que iam ter de modificar alguma coisa. É algo que beneficia sempre a equipa teoricamente menos forte. Já representei equipas do género, mas não há nenhum jogador que possa vir dizer que eu lhe pedi para se deitar no chão ou para perder tempo. É culpa de toda a gente, mas no jogo Bessa, por exemplo, nos primeiros 15 minutos só se jogaram três ou quatro. Aí a culpa foi do árbitro e, se calhar, do treinador e dos jogadores.”
Todos são importantes
“O espírito é bom porque toda a gente trabalha da mesma forma. A importância de todos os jogadores é igual. Todos se sentem importantes e todo o trabalho diário é a pensar em todos os jogadores, de forma a que deem a melhor resposta quando forem chamados. Isso não é fácil, pois há as questões emocionais e aquilo que são os objetivos de cada um. Eles compreendem que o mais importante é a equipa. Nesse sentido, tenho um grupo fantástico.””

Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Casillas; Maxi, Felipe, Éder Militão e Alex Telles; Danilo, Herrera e Óliver; Brahimi, Marega e Corona

3 – Sobre o jogo
Regressam os jogos do campeonato ao Dragão. Não se espera um jogo fácil, mas espera-se que os comandados de Sérgio Conceição transformem as dificuldades em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; confiante; concentrado; coeso; determinado; ambicioso; motivado; empenhado; sólido; solidário; unido; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!