sábado, 22 de setembro de 2018

Crónica e Análise: Vitória de Setúbal 0 – FC Porto 2


1 – Crónica

No início de noite deste sábado o FC Porto deslocou-se ao terreno do Vitória de Setúbal, em jogo a contar para a 5ª jornada da I Liga. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 0-2.
Para este jogo Sérgio Conceição apostou num onze composto por Casillas; Maxi, Felipe, Éder Militão e Alex Telles; Danilo, Herrera e Otávio; Brahimi, Aboubakar e Marega.
A primeira parte começou com duas equipas a pretenderem por em campo as estratégias definidas. Marega foi o primeiro a ter oportunidade de criar perigo, no entanto, não foi bem sucedido. Minutos depois, foi a vez de Brahimi tentar a sorte, mas o guarda-redes sadino travou a intenção do argelino. À terceira foi de vez. Ao minuto 17 Aboubakar ativou o marcador. Após o golo portista, os da casa não se renderam e trataram de procurar chegar à área contrária. Na situação mais perigosa, valeu Casillas a segurar a vantagem.
O Vitória entrou melhor no segundo tempo, procurando pressionar a defesa portista. Os sadinos chegaram mesmo a marcar, mas o golo foi anulado. Ao minuto 78, Sérgio Oliveira, na conversão de um livre aumentou a vantagem. Já perto do apito final, Corona esteve perto de fazer o terceiro golo, no entanto a bola foi ao lado.
Com esta vitória o FC Porto soma 12 pontos e está na liderança do campeonato à espera dos resultados dos jogos dos adversários.

2 – Análise

Não se esperava um jogo fácil e, de facto, não o foi. O FC Porto não conseguiu colocar em campo o seu jogo, por falta de eficácia a defender e na construção de lances de ataque; muito por causa de uma equipa do Vitória bem organizada e com uma estratégia bem definida; mas também por causa do estado do relvado. A verdade é que o FC Porto não conseguiu ser capaz de dar a volta às dificuldades e revelou-se uma equipa intranquila. Valeu os golos de Aboubakar e de Sérgio Oliveira, mas também as intervenções de Casillas, quando foi chamado a intervir.
Em suma, o FC Porto fez o que tinha a fazer, somar os 3 pontos num terreno difícil, mas num jogo que não foi nada brilhante.




sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Antevisão da 5ª Jornada da I Liga


1 – Aqui está a antevisão de Sérgio Conceição do jogo da 5ª jornada da I Liga, frente ao Vitória de Setúbal.

“"ESPERO UM FC PORTO COM AS CARACTERÍSTICAS QUE FAZEM PARTE DO NOSSO ADN"
Sérgio Conceição fez a antevisão do Vitória de Setúbal-FC Porto, da 5.ª jornada da Liga (sábado, 21h00)
Depois da estreia na Liga dos Campeões, o FC Porto volta a apontar o foco ao campeonato, cuja 5.ª jornada reserva uma deslocação a Setúbal, para defrontar o Vitória (sábado, 21h00, Sport TV 1). Na antevisão da partida que terá como palco o Estádio do Bonfim, Sérgio Conceição falou sobre as dificuldades que o FC Porto enfrenta em todos os jogos da Liga, mas garantiu que a equipa está preparada para as superar.
As dificuldades de sempre
“Esperamos sempre jogos difíceis e sabemos que, por vezes, os adversários tentam utilizar todas as estratégias possíveis para contrariar o poderio do FC Porto. As equipas do Lito Vidigal são bem organizadas e trabalham bem defensivamente. Sabemos que o jogo será de grande exigência, mas temos de nos preocupar com o que podemos e devemos fazer. Ainda temos na cabeça o último jogo na Taça da Liga, perante um adversário que se preocupou mais com o tempo a passar, tentando contrariar a força do FC Porto de todas as formas possíveis e imaginárias. Já estive em equipas chamadas pequenas e sei que a organização e o rigor defensivo são importantes para conquistar pontos contra equipas mais fortes, mas há limites para tudo. Nunca permitira numa equipa minha as coisas que já vi desde que sou treinador do FC Porto. Esperam-nos dificuldades, mas estamos preparados.”
Um FC Porto igual a si próprio
“Espero um FC Porto com as características que fazem parte do nosso ADN: ambição e determinação de uma equipa que se prepara de forma rigorosa e humilde, respeitando sempre o adversário. Estamos cada vez mais fortes pela entrada de um ou outro jogador e pelo trabalho que fazemos diariamente. Acredito que vamos estar cada vez melhor e mais fortes. Acredito que amanhã será mais uma demonstração da consistência que a equipa teve no jogo da Liga dos Campões, com determinação, ambição e muita vontade de ganhar.”

Organização e consistência defensiva
“O sistema que eu possa definir não dá indicação nenhuma se esperamos mais o adversário ou se pressionamos mais à frente. A nossa forma de estar ou atuar é fiel à nossa identidade, procurando também explorar as fragilidades do adversário. A base para se ganhar é que a equipa compreenda que é preciso organização e consistência defensiva.
Plante quase na máxima força
“Temos um plantel com quase toda a gente em condições, à exceção do Mbemba e do Tiquinho. Há jogadores que estão em luta permanente por um lugar na equipa e isso é de louvar. É ótimo ter essas dores de cabeça. É preciso realçar o bom início de época do Diogo Leite, tal como o Éder Militão, que veio de uma realidade diferente e que se adaptou rapidamente à nossa exigência, bem como à exigência da Liga dos Campeões, que é a melhor e mais competitiva prova de clubes do mundo.”
Danilo Pereira
“Já tive oportunidade de dizer que é um jogador muito importante no grupo. É humilde, trabalhador, consciente dos princípios e daquilo que se vive dentro do FC Porto. Ele personifica bem o que é ser jogador à Porto, com seriedade, capacidade de trabalho, sacrifício e humildade. Danilo é tudo isso. É importante no balneário e no campo. É um reforço importante para mim, que estive privado dele durante vários meses. Mas quando ele não esteve, estiveram outros que fizeram um campeonato fantástico e que nos ajudaram a conquistar o título. É uma questão de oportunidade e de aproveitar o momento.”
Éder Militão
“Já conhecíamos o Éder Militão. Vi jogos dele a central, a lateral e no meio-campo, como médio mais defensivo. Já o conhecia e sei aquilo que ele pode dar. É um jovem que tem um grande potencial e que está em evolução constante, mas a equipa é que dita em que lugar poderá jogar. Noutras vezes pode ir para o banco ou até mesmo para a bancada, mas por aquilo que fez nos dois jogos que jogou, é um jogador importante e que deu uma resposta muito positiva ao lado do Felipe.”
Os exames diários
“Aqui tenho exames todos os dias, porque o nosso grupo de trabalho exige que os treinadores estejam sempre no máximo. Correção de erros e aprendizagem é essencial. Todos os dias sinto uma grande vontade de justificar o meu lugar aqui. Depois, vivemos de resultados, e são eles que ditam o que os treinadores e as equipas trabalharam. O nosso trabalho é o que me preocupa. Mesmo no ano passado, quando muitos duvidavam, sabíamos que estávamos preparados para este desafio. Fomos campeões e este ano vamos querer o mesmo, trabalhado cada vez mais e cada vez melhor.””

Em

2 – O meu palpite para a equipa titular é:
Casillas; Maxi, Felipe, Éder Militão e Alex Telles; Danilo, Herrera e Otávio/Oliver; Brahimi, Aboubakar e Marega.

3 – Sobre o jogo
É o regresso do campeonato após uma pausa para jogos das seleções e para a Taça da Liga. Não  se esperam facilidades, é certo, mas espera-se que os comandados de Sérgio Conceição transformem as dificuldades em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; concentrado; coeso; confiante; determinado; rigoroso; ambicioso; motivado; sólido; solidário; unido; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!


terça-feira, 18 de setembro de 2018

Crónica e Análise: Schalke 1 – FC Porto 1


1 – Crónica

No início de noite desta Terça o FC Porto deslocou-se ao terreno do Schalke, em jogo a contar para a 1ª jornada da fase de grupos, grupo D, da Liga dos Campeões. No final do encontro verificou-se um empate a 1.
Para este jogo Sérgio Conceição apostou num onze composto por: Casillas; Maxi, Filipe, Éder Militão e Alex Telles; Danilo, Herrera e Otávio; Brahimi, Aboubakar e Marega.
Foi uma primeira parte equilibrada, com ambas as equipas a tentarem jogar e a não deixarem o adversário jogar. Ao minuto 13, Alex Telles teve nos pés a oportunidade para colocar os Dragões em vantagem, através de uma grande penalidade, no entanto, a bola acabou travada pelo guarda-redes e manteve-se o nulo no marcador. Do outro lado do campo a defesa e Casillas iam resolvendo os poucos lances mais perigosos construídos pelos alemães.
O FC Porto entrou bem no segundo tempo, procurando pressionar a defesa contrária e Felipe ficou muito perto do golo. Entretanto os alemães passaram a pressionar a defesa portista que ia afastando o perigo quando este rondava a baliza de Casillas e procurando responder. Ao minuto 64, o Schalke colocou-se em vantagem, obrigando os Dragões a correr atrás do resultado. E o golo portista acabou por chegar ao minuto 75, por intermédio de uma grande penalidade convertida por Otávio.
Com este resultado o FC Porto soma 1 ponto no grupo D; está em igualdade pontual com os alemães; enquanto que o Galatasaray soma 3 pontos e está na liderança do grupo; no lado oposto está o Lokomotiv de Moscovo.

2 – Análise

Não se esperava um jogo fácil e, de facto não o foi. As equipas alemães são fortes e, apesar de parecer que, teoricamente, este Schalke está ao alcance do FC Porto, acabou por conseguir ser eficaz e inteligente no jogo e complicar a vida e a estratégia dos portistas, a quem faltou acerto na finalização. Ainda assim, um empate fora, na casa do vice-campeão alemão não me parece um mau resultado, ainda que acredite que o resultado podia ser diferente.
Em suma, não foi um jogo fácil, foi um resultado razoavelmente aceitável, mas espera-se mais deste FC Porto.