segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Bem-Vindo Soares!



O FC Porto informou hoje que Soares assinou um contrato com os Dragões, com validade de 4 épocas e meia, com uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros. O avançado Brasileiro de 26 anos que foi contratado ao Vitória de Guimarães irá vestir a camisola 29.
Em declarações ao porto canal e site oficial do FC Porto, o reforço portista afirmou que:
““A escolha pelo FC Porto deu-se devido à grandeza e à história do clube. Gostaria de agradecer a todos os envolvidos uma vez que estou a realizar um grande sonho e estou muito feliz por isso. Quero evoluir muito mais e a grandeza deste clube vai permitir que assim seja. Estou preparado para lutar e, com respeito por todos, tenho a certeza que vamos fazer uma grande época. Estou muito contente com o que ouvi do presidente e tenho a certeza que este é um grande passo para a minha carreira””;
““Sou um jogador que não desiste facilmente. Para mim não há bolas perdidas e posso garantir a todos que vou dar o máximo para levar o mais longe a nossa equipa. Para já gostaria de pedir aos adeptos que acreditem nesta equipa e que compareçam em todos os jogos, porque certamente vamos conseguir grandes vitórias””
Não tenho muito a dizer acerca da contratação de Soares, que marcou 7 golos para o campeonato ao serviço do Vitória de Guimarães, apenas quero desejar-lhe muita sorte, que marque muitos golos e que seja muito feliz com a camisola do FC Porto. Bem-vindo, Soares!





Crónica: Académico de Viseu 2 – FC Porto B 1



Na manhã de Domingo o FC Porto B deslocou-se ao terreno do Académico de Viseu, em jogo a contar para a 23ª jornada da II Liga. No final do encontro verificou-se a derrota dos Dragões por 2-1.
Para este jogo António Folha apostou num onze composto por: João Costa; Fernando, Chidozie, Jorge Fernandes e Luís Mata; Omar Govea, Fede Varela e Francisco Ramos; Galeno, Kayembe e Areias.
Durante os primeiros 15 minutos de jogo assistiu-se a uma partida equilibrada. Mas após esse período o FC Porto B procurou superiorizar-se, conquistando mais posse de bola e mantendo-se no meio-campo adversário. E foi ao minuto 20 que surgiu a primeira ocasião de golo para os portistas, protagonizada por Fede Varela, que atirou pouco ao lado do poste da baliza adversária. Os de Viseu respondiam através de rápidos contra-ataques que iam dando trabalho a defesa azul e branca. E os da casa ficaram mesmo perto de marcar mesmo no final da primeira parte.
Pouco depois do início do segundo tempo, minuto 52, o Académico de Viseu adiantou-se no marcador. Os B’S portistas não conseguiram reagir ao golo sofrido o que deixou os da casa mais confortáveis, conseguindo ampliar a vantagem ao minuto 72. Ao minuto 79, Ruben Macedo, recém entrado, reduziu a desvantagem.

Com esta derrota o FC Porto B soma 28 pontos e está no 14º lugar da tabela classificativa.




sábado, 21 de janeiro de 2017

Crónica e Análise: FC Porto 4 –Rio Ave 2



1 – Crónica

Vitória Sofrida

Na tarde deste Sábado o FC Porto recebeu o Rio Ave, em jogo a contar para a 18ª jornada da Liga. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 4-2.
Para este jogo Nuno Espírito Santo apostou num onze composto por Casillas; Layun, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, Herrera e Óliver; Corona, André Silva e Diogo Jota.
O FC Porto demorou a entrar em campo, o que fez com que os de Vila do Conde pudessem demonstrar que não iam ali só para defender, ainda assim, o perigo para a baliza de Casillas nunca foi eminente durante esses primeiros 15 minutos. Entretanto o FC Porto percebeu que tinha um jogo para vencer e, Corona procurou ativar o marcador, no entanto, não conseguiu colocar a bola dentro da baliza. Não aconteceu o golo nesse lance, aconteceu no minuto seguinte. Ao minuto 18, Filipe, na sequência de um livre cobrado por Alex Telles, ativou o marcador. Pouco depois, minuto 22, Diogo Jota ficou perto de fazer o segundo, no entanto, a bola acertou em cheio na barra da baliza adversária. Poucos minutos volvidos, Herrera, na cobrança de um livre, obrigou o guarda-redes adversário a defender. Só que ao minuto 35, numa fase do jogo em que o perigo rondava a baliza contrária, Casillas não conseguiu segurar a bola e o Rio Ave chegou ao empate.
Logo no início do segundo tempo, minuto 49, Layun fez falta no interior da área, grande penalidade assinalada e os vila-condenses em vantagem no marcador. Balde de água fria nas bancadas, a gelar ainda mais a tarde. O FC Porto foi à procura de dar a volta ao resultado e o empate voltou a surgir da cabeça de um defesa. Ao minuto 55, marcano, na sequência de um livre novamente cobrado por Alex Telles, devolveu a igualdade no marcador. Menos de 10 minutos depois, minuto 62,, Danilo deu a melhor sequência a um canto, cobrado por Alex Teles, e colocou novamente o FC Porto na frente do marcador. André André ficou perto de fazer o 4-2, mas viu o guarda-redes adversário negar-lhe os festejos. O 4º golo não chegou nesse momento, mas não tardou. Ao minuto 88,, Rui Pedro fez o 4º golo da tarde, colocando um ponto final na discussão do resultado.
Com esta vitória o FC Porto soma 41 pontos, posicionando-se a 1 ponto da liderança do campeonato, num momento em que o Benfica tem menos um jogo.

2 – Análise

Não se esperavam facilidades e, de facto, não as houve. O Rio Ave não colocou o autocarro permanentemente estacionado a frente da baliza, mas sim procurou jogar de igual para igual. Algo que, aliás, já era espetável. Para além disso, Luís Castro, que esteve 10 anos ao serviço do FC Porto, conhece bem os cantos à casa e, sobretudo, alguns protagonistas, o que possivelmente, acrescentou mais dificuldade ao encontro. Os Dragões não fizeram uma exibição brilhante, não conseguiram dominar e controlar o jogo, mas demonstraram uma atitude positiva e querer, ao contornar as dificuldades que lhes iam saindo ao caminho, nomeadamente a desvantagem, correndo atrás do prejuízo. Felizmente hoje reinou a eficácia num jogo em que os portistas não conseguiram criar demasiadas ocasiões de golo. Foi um jogo equilibrado, com emoção - aguenta coração! - com golos e com os adeptos a empurrar a equipa para a vitória. Falta a esta equipa confiar mais em si própria; acreditar nas qualidades que tem, porque as tem, e potenciá-las mais; e ser cada vez mais constante nas suas exibições - bem sei que é sempre preferível um bom resultado com uma exibição mediana do que uma boa exibição e um resultado negativo – mas esta equipa consegue, de certeza, aliar esses dois fatores e manter os níveis exibicionais mais elevados.
Em suma, o FC Porto somou os três pontos num jogo difícil que era importante vencer.
Vamos Porto!