sábado, 1 de julho de 2017

E Continua a Saga dos E-mails



Na quinta, num jantar com deputados benfiquistas, Vieira leu um discurso na tentativa vã de reagir ao caso dos e-mails. Disse coisas como: "Nos últimos quatro anos, em 16 títulos, conquistámos 11. Houve quem não conquistasse nada ou apenas dois. E isso faz toda a diferença. Os resultados desportivos são o culminar de um projeto de recuperação do Benfica em todas as áreas. *Incluindo colocar as pessoas certas nos lugares certos, não é verdade?* Somos a melhor marca do país. *São?* Temos provas dadas e resultados, com um novo rumo já definido. *resultados a nível nacional, faltou referir esta parte SR presidente* Isso torna-nos muito fortes. Mas o país assistiu, nas últimas semanas, a uma agitação no mundo do futebol. Houve quem procurou instalar a ideia que todos somos iguais, quis destruir a credibilidade que ainda leva adeptos aos estádios. *de facto não somos, definitivamente, todos iguais* Tentou criar-se um manto de suspeitas e condicionamento sobre agentes desportivos, num ambiente de grande agitação que foi artificialmente criado. *ah foi?* Todas as acusações são falsas e infundadas. *veremos!* Ao Benfica cabe manter a serenidade e conservar a distância.” E acrescentou "Não existem, no nosso clube, atos praticados à margem da lei nem condutas que podem ser objeto de censura." *nós sabemos*.

Ontem, Francisco J. Marques, no noticiário do Porto Canal reagiu dizendo que "há demasiados indícios e casos para se dizer que é tudo falso". Acrescentou ainda que "É uma opinião do presidente do Benfica. Os adeptos do futebol não têm bem essa impressão nesta altura. Os assuntos estão a ser investigados pela Polícia Judiciária",. E concluiu "Tudo isto parece-me uma fuga para a frente. Está instalado no futebol português uma série de poderes ilegais".
O diretor de comunicação do FC Porto lançou uma questão que, de facto, alguém deveria fazer ao presidente do Benfica. "O Benfica está preocupado com a violação de emails, não fiz qualquer violação de emails e mais para a frente voltaremos a falar disso. Mas, se calhar, o que importa saber é por que razão o computador do Jorge Jesus preocupava tanto o Benfica, isso é que importa saber".

Mas a saga continua e hoje o Jornal Expresso volta a carga. Através do semanário ficamos a conhecer uma troca de e-mails entre Paulo Gonçalves e uma funcionária do Benfica. A funcionária recebeu um pedido de Simões Dias, ex-delegado da Liga, para arranjar dois bilhetes para o jogo Benfica VS Nacional de 2016-2017. Este pedido e o facto do Benfica os ceder não seria grave, caso Paulo Gonçalves não tivesse escrito no e-mail para a funcionária que "Com essa omissão safou-me a mim e ao Nuno Gomes de uma sanção, mas lixou-se". E que se passou afinal? Na época 2008-2009, o jogo Benfica VS Nacional, que teve como árbitro Pedro Henriques terminou envolto em polémica. No final desse jogo, já no túnel, Paulo Gonçalves e Nuno Gomes terão insultado o árbitro, que escreveu o sucedido no seu relatório. Acontece que Simões Dias, delegado da liga, presenciou esta situação, omitindo-a do seu relatório, razão pela qual, em outubro de 2009, foi suspenso por dezoito meses “por "falsificar o relatório" ao não ter "intencionalmente mencionado" o comportamento do jogador. "Não se presenciaram graves comportamentos incorretos por parte de qualquer agente desportivo", escreveu Simões Dias no relatório.” No entanto, tendo em conta o relatório do árbitro, Pedro Henriques, onde estava descrito o acontecido no túnel, Nuno Gomes foi suspenso dois jogos e teve de pagar uma multa de mil euros. Nada de grave, portanto.
Em suma, mal tentam desmentir uma situação e aparece logo outra… e o Universo Porto da Bancada está de férias! Mas o Expresso não!


Nota:
O texto entre “…” foi retirado do jornal OJOGO e do jornal de Notícias. Os apontamentos entre * são de minha autoria.




1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.