quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Crónica e Análise: FC Porto 2 – Marítimo 1



FC Porto vence com golos de Brahimi e André Silva

No início de noite desta quinta o FC Porto recebeu o Marítimo, em jogo antecipado da 15ª jornada da Liga. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 2-1.
Para este jogo Nuno Espírito Santo apostou num onze composto por Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, Óliver e Brahimi; Corona, André Silva e Diogo Jota.
O FC Porto dominou e controlou o primeiro tempo, beneficiando de mais posse de bola.  Na primeira ocasião de perigo Filipe quase conseguia fazer golo, minuto 9. Mais tarde, minuto 25, foi André Silva a ficar perto de festejar, no entanto, um defesa contrário negou-lhe os festejos. O golo chegou ao minuto 45, por intermédio de  Brahimi.
O FC Porto voltou a entrar bem no segundo tempo, continuando a dominar e a controlar, pacientemente, o jogo. E André Silva, ao minuto 67, ampliou a vantagem no marcador. A perder o Marítimo, quando conseguia, procurava chegar perto da área portista com a defesa azul e branca a afastar o perigo. E ao minuto 85, num grande remate, os madeirenses reduziram a desvantagem. E, por isso, nos últimos minutos procuraram pressionar a defesa portista.
Não se esperavam facilidades e não as ouve realmente. Sem fazer uma exibição exuberante como outras recentes, o FC Porto foi eficaz no ataque, o que também faltou outras vezes. Os Dragões dominaram e controlaram o jogo, com a defesa contrária a procurar dificultar ao máximo as manobras ofensivas portistas e com o Marítimo, de quando em vez, sobretudo no final do segundo tempo, a procurar criar dificuldades à defesa azul e branca.
Em suma, o FC Porto venceu justamente um jogo difícil, mas de sentido único, que dominou e controlou.
Com este resultado o FC Porto soma 31 pontos, estando agora a 1 ponto da liderança, embora com um jogo a mais.




1 comentário:

Pinto Felgueiras disse...

Uma e moralizadora boa vitória. Mesmo com mais do mesmo, com mais penaltis roubados.
Mais: Costuma-se dizer que com mau tempo não há palhaços, pois que se constipam, mas estes árbitros pró sistema são palhaços de fraca figura, a todo o tempo, sem ofensa aos verdadeiros palhaços.
Tanta roubalheira e sem tomadas de posição oficiais, já é abuso demasiado.
Armando Pinto